Estas são as diferenças entre os genjutsus do Sharingan e do Mangekyou Sharingan em Naruto Shippuden

Para entender as diferenças entre genjutsus comuns e os que vem do Mangekyou Sharingan, como o Tsukuyomi, é preciso primeiro entender a diferença de ativação dos dois.

Os genjutsus normais são manipulações do fluxo de chakra das vítimas em áreas sensoriais, como olhos, ouvidos, etc. Essa técnica permite que o usuário manipule esse fluxo para criar a ilusão que desejar no alvo. Enquanto extremamente útil, genjutsu comum é relativamente fácil de ser quebrado.

Como se trata de uma alteração no fluxo de chakra, basta para a vítima interromper brevemente esse fluxo que a ilusão deixa de existir, uma vez que não está sendo mais manipulado pelo criador do genjutsu.

Já os genjutsus executados por usuários do Mangekyou Sharingan, como o Tsukuyomi e o Kotoamatsukami são muito mais poderosos justamente por não seguir essa ativação.

Esses jutsus especiais dos Uchiha atacam e modificam diretamente o cérebro da vítima. É por isso que o Kotoamatsukami altera permanentemente as ideias das vítimas e é por isso que Itachi pode controlar a duração do Tsukuyomi.

Itachi pode controlar a percepção de tempo dentro da cabeça do alvo, fazendo com que instantes se transformem em uma eternidade, torturando de diversas formas sua vítima.

Como não se trata de uma manipulação do fluxo de chakra e sim controle mental, é praticamente impossível de se escapar pela vontade do alvo, exigindo que o invocador libera a vítima ou cesse o genjutsu por falta de chakra ou seja interrompido.

Naruto Shippuden foi exibido entre os anos de 2007 e 2017, contando a segunda fase do anime. Nela, Naruto retorna após dois anos de treinamento com a missão de combater a Akatsuki e resgatar Sasuke das garras de Orochimaru.

O anime pode ser acompanhado na íntegra no Crunchuyroll, juntamente com Naruto clássico e Boruto: Naruto Next Generations, sua continuação direta.